quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Estafeta de Contos

No âmbito do projeto concelhio Estafeta de Contos – Conto con(Tigo), recebemos na nossa Biblioteca alunas do Clube de Expressões do Agrupamento de Escolas de Paços de Brandão, no passado dia 19 de fevereiro. Este grupo contou alguns contos populares – Parábola dos sete vimes, A menina dos fósforos e Os Anõezinhos da Tia Verde Água – e dramatizou a divertida história de O Cavaleiro da Tortalata, de José Viale Moutinho, partilhando com uma turma do 8.º ano o trabalho que tem vindo a desenvolver no Clube de Expressões da sua escola.
Agradecemos o momento cultural e literário proporcionado, bem como a disponibilidade das Professoras e Alunas para dinamizarem mais uma ação desta iniciativa.
Passado o testemunho à nossa Escola, a Professora Sara Garizo levará a Estafeta de Contos à EB1 de Milheirós de Poiares, no próximo dia 4 de março, com a dinamização de mais um conto para alunos de 3.º e 4.º anos.
Toda a Comunidade Educativa poderá assistir à última sessão da Estafeta de Contos – Conto con(Tigo) no dia 15 de maio, pelas 21h, na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Mês dos Afetos - Projeto Postal Amigo


Em especial mês dos afetos, a Professora Bibliotecária voltou a dinamizar uma sessão de literacia da leitura e de cidadania com os alunos das turmas EFA. Depois de duas dinâmicas de empatia com o grupo de alunos e professores presentes, a Professora Sara leu em voz alta a história de amor entre dois jovens adolescentes que se aproximam física e emocionalmente numa conversa de descoberta “nessa noite duma bendita, bonita, falta de luz” – Uma Escuridão Bonita, do escritor Angolano Ondjaki.   
A partir das interrogações da personagem principal Achas que pode caber o quê, no coração das pessoas? ou Achas que o coração das pessoas é pequeno?, alunos e professores refletiram sobre as possíveis respostas para, em seguida, as exporem no mural disponível na Biblioteca.
Esta reflexão facilitou a tarefa que se seguiu de criar “Corações de S. Valentim” para mais uma das nossas participações no Projeto Postal Amigo, com os nossos corações a atingirem os utentes do Centro Social Paroquial S. João do Campo, em Coimbra.


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Fase Municipal do Concurso Nacional de Leitura


No passado dia 10, o Gabriel, o Omar, o Afonso e a Bárbara apresentaram-se na fase municipal da 14.ª edição do Concurso Nacional de Leitura, representando a nossa escola na Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira. Numa iniciativa cujo objetivo central é o de estimular o gosto e os hábitos de leitura, bem como melhorar a compreensão leitora de alunos dos 1.º,2.º, 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, todos os alunos apurados para esta fase empenharam-se em demonstrar o seu conhecimento das obras lidas - aquando das provas escritas - e a sua capacidade de argumentação no momento da prova oral, em palco. 
Acresce o facto de este ter sido um momento de partilha e de convívio importante para todos.
PARABÉNS a todos os participantes, em especial, à Bárbara que representará a nossa escola na próxima fase, no dia 22 de abril, na Biblioteca Municipal de Gaia!

Mantas de Afetos




sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

A lenda dos 1000 tsurus, lida pela Eduarda e pelo Pedro

tsuru...um grito pela PAZ!

Na semana em que lembramos as vítimas do Holocausto - Dia Internacional da Lembrança do Holocausto - alunos de diferentes turmas deram a conhecer a lenda dos 1000 tsurus a toda a Comunidade Escolar. Acompanhados pelos Professores Filomena, Graça, Helga, Isabel e Marco, os alunos construíram inúmeros tsurus que expuseram no átrio do Bloco B, tocaram e leram  - em voz alta - a história originária da lenda dos tsurus. Alguns Professores juntaram-se também a este grito pela PAZ, lendo pequenos textos de Primo Levi ou de Sophia de Mello Breyner Andresen. 
O intervalo da manhã de ontem, na sala dos professores, prolongou-se com a lembrança de uma História que não queremos esquecer!



Dia da Leitura em Voz Alta


quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Semana da Leitura em Voz Alta

Em Semana da Leitura em Voz Alta, ensaios de "uma declaração de amor à língua portuguesa".




Recordando as tradições na Biblioteca Escolar


Na Biblioteca Escolar de Caldelas, recebemos a visita de uma ilustre conterrânea, a Dr.ª Gracinda Sousa.

Os alunos do 4.º ano prepararam tudo com antecedência. Na semana anterior à data combinada, a Professora Bibliotecária leu um excerto da obra Dourada, a Fogaça Encantada, da autoria de Gracinda Sousa. Também mostrou alguns livros desta escritora, existentes na biblioteca. Na sala de aula, a turma do 4.º ano estruturou uma entrevista e ensaiou uma apresentação com a Professora Titular Mafalda.

No dia 22 de janeiro, a Dr.ª Gracinda foi surpreendida pelas quadras que lhe foram dedicadas e pela entrevista conduzida pelos alunos. Deu continuidade à história da Dourada e dialogou sobre as tradições, os factos históricos, a simbologia das insígnias… envergando o traje da Confraria das Fogaças.

Obrigada pelo empenho de todos na concretização deste encontro que fomentou os laços da nossa identidade cultural.

PB Ana Gouveia



domingo, 26 de janeiro de 2020

CNL - obras selecionadas



Em A Cruzadas das Crianças, Afonso Cruz - pela voz das crianças - interpela os leitores adultos a ouvirem as reclamações de milhares de crianças que, sob a forma de cruzados, saem à rua para reclamar os sonhos que os adultos se esqueceram de continuar a sonhar e de pedir a justiça em que há muito parece terem deixado de acreditar. Esta história desafia-nos a revermos o cinismo, a descrença e a inércia com que tantas vezes olhamos para o mundo que nos rodeia e a contribuirmos para sermos parte de uma mudança, que se torna necessária e urgente.

Dulce Maria Cardoso dá início a esta história a partir de Luanda, onde se dá o processo de descolonização que obriga milhares de brancos a voltarem para Portugal. É na voz de Rui, um adolescente de 15 anos, que viajamos até à Luanda e à Lisboa de 1975, numa narrativa emocionante sobre O Retorno de mais de meio milhão de retornados ao nosso país. Um regresso marcado pela ausência do pai de Rui, pela fragilidade da sua mãe, com a necessidade de acreditar que o pai vai voltar, pelas lágrimas de uma miúda que é apalpada por ser retornada, ou pela amizade entre o puto e o porteiro do hotel (onde viveu com a sua família por mais de um ano) que lhe oferece uma bicicleta velha.